Animais

A Lebre e a Tartaruga

Era uma vez, numa floresta encantada, onde a natureza vibrava com suas cores exuberantes e os animais viviam em harmonia, que duas criaturas distintas, Laura, uma lebre veloz e brincalhona, e Téo, uma tartaruga serena e determinada, compartilhavam seus dias.

Laura era reconhecida por sua agilidade e vivacidade. Desde os primeiros dias, ela corria pelos campos, exibindo sua destreza e habilidade, enquanto Téo, com sua casca resistente e passos vagarosos, explorava o mundo ao seu ritmo tranquilo.

A lebre Laura costumava orgulhar-se de sua velocidade, zombando dos outros animais por serem mais lentos. Enquanto isso, Téo, a tartaruga, apreciava cada passo que dava, concentrando-se na jornada em vez da velocidade.

Certo dia, Laura estava tagarelando sobre sua velocidade, espalhando sua arrogância pela floresta. Ela se gabava de como ninguém poderia superá-la numa corrida. Todos os animais se cansavam de ouvir suas palavras, mas Téo, a tartaruga, ouvia com serenidade, sem se deixar abalar.

Com o tempo, as brincadeiras de Laura começaram a irritar os outros animais. Então, um sábio búfalo, cansado de sua arrogância, propôs um desafio inusitado: uma corrida entre Laura e Téo, atravessando a floresta até uma árvore distante, onde uma bandeira seria o ponto final.

Laura gargalhou com a ideia. Ela não conseguia entender como a tartaruga poderia competir em uma corrida. A lebre aceitou o desafio com entusiasmo, enquanto Téo, confiante em sua determinação, concordou sem hesitar.

A notícia se espalhou pela floresta, e todos os animais aguardavam ansiosos pelo dia da corrida. Laura, confiante em sua vitória, zombava da tartaruga, enquanto Téo mantinha a serenidade, concentrando-se em sua preparação.

Finalmente, o grande dia chegou. A linha de partida foi estabelecida e todos os animais se reuniram para assistir à corrida. O búfalo deu o sinal e as duas criaturas partiram em direção à árvore distante.

Laura disparou na frente, deixando Téo para trás. Ela corria tão rapidamente que nem percebia o cansaço que começava a surgir. Ela estava tão confiante em sua vitória que decidiu fazer uma pausa para descansar e se divertir ao longo do caminho.

Enquanto isso, Téo avançava com passos firmes e constantes. Ela não se importava com a velocidade da lebre, pois sabia que sua determinação a levaria ao seu destino. A tartaruga seguiu em frente, sem se deixar abater pela distância que ainda faltava.

Quando Laura finalmente chegou à metade do percurso, ela olhou para trás e não viu a tartaruga. Confusa, decidiu descansar mais um pouco, aproveitando o tempo para algumas brincadeiras. A confiança da lebre era tamanha que ela até cochilou um pouco.

Enquanto isso, Téo avançava lentamente, focada em alcançar seu objetivo. Ela não se preocupava com a distração da lebre ou com o tempo que passava. Sua determinação era sua maior força.

Quando Laura acordou, percebeu que estava atrasada e correu o mais rápido que pôde em direção à árvore final. Para sua surpresa, ao chegar lá, encontrou Téo já esperando por ela, com um sorriso calmo no rosto.

Laura estava atônita. Ela não conseguia entender como a tartaruga havia chegado antes dela. Téo explicou serenamente que havia avançado de forma constante, sem se deter, e alcançou seu destino.

Os animais que assistiram à cena aplaudiram Téo pela sua determinação e disciplina. Eles aprenderam uma valiosa lição com a história: nem sempre é a velocidade que importa, mas a persistência, a determinação e a concentração ao longo do caminho.

Laura percebeu humildemente que sua arrogância a tinha levado à derrota. Ela aprendeu a valorizar não apenas sua velocidade, mas também a persistência e a paciência de Téo. A partir daquele dia, a lebre se tornou mais respeitosa e aprendeu a apreciar cada passo de sua jornada.

E assim, naquela floresta, a lebre Laura e a tartaruga Téo se tornaram grandes amigos, valorizando as diferenças um do outro e compreendendo a importância de não subestimar o potencial de alguém baseado apenas na aparência ou na velocidade.

4.5/5 - (28 votes)

O Que Achou da Historinha?

Botão Voltar ao topo