Animais

Festa no Céu

Na floresta, rumores se espalharam sobre uma festa especial no céu, convidando apenas os animais voadores. Os pássaros, entusiasmados com a notícia, espalharam a novidade por todos os cantos da floresta. No entanto, eles não deixaram passar a oportunidade de provocar os animais não voadores, especialmente o sapo.

O pobre sapo, pesado e incapaz de voar, causou risos e zombarias por toda a floresta. Mas ele não se abateu com as piadas e decidiu criar um plano. Conhecendo um abutre, seu amigo, o sapo compartilhou piadas e histórias que ambos adoravam.

Chegando perto da hora da festa, o sapo se despediu do abutre:

— Bem, meu amigo abutre, está na hora de eu ir para a festa. Tenho que estar no meu melhor humor e muito animado para aproveitar.

— Você vai mesmo? — perguntou o abutre, intrigado.

— Se eu vou? Com certeza!

Contudo, em vez de sair, o sapo deu uma volta, pulou pela janela da casa do abutre e, vendo o violão do amigo em cima da cama, decidiu se esconder nele.

Quando a festa começou, o abutre, carregando seu violão no pescoço, voou para o céu. Ao chegar lá, ele deixou o violão em um canto e começou a socializar com os outros pássaros. O sapo, escondido dentro do violão, esperou o momento certo e, quando viu que estava sozinho, saltou para fora e começou a pular e dançar no céu.

Os pássaros ficaram surpresos ao ver um sapo se divertindo no céu, e todos queriam saber como ele chegou lá. Mas o sapo, habilidoso, mudou de assunto e se divertiu muito.

À medida que a noite avançava, o sapo decidiu que era hora de ir embora antes que o abutre o levasse de volta. Ele saiu despercebido e se escondeu novamente no violão do abutre, que estava encostado em um canto da sala. Quando o abutre pegou o violão para voar de volta à floresta, percebeu algo se mexendo lá dentro.

— Oh! Um sapo! Foi assim que você foi para a festa no céu? Sem pedir licença, me deixou sem saber! — disse o abutre, virando o violão para o sapo cair no chão. A queda foi surpreendente.

O sapo caiu nas pedras do rio, mas por incrível que pareça, não se machucou gravemente. O que mais impressionou foi que ele estava coberto de remendos.

Por essa razão, os sapos têm padrões estranhos nas costas até hoje…

4.6/5 - (21 votes)

O Que Achou da Historinha?

Botão Voltar ao topo